Banco do Povo Paulista empresta R$ 1 bilhão; evento no Palácio do Governo celebra marca

Em 14 anos de história, programa beneficiou mais de 282 mil microempreendedores do Estado

Depois de mais de 289 mil operações ao longo de 14 anos, o Banco do Povo Paulista (BPP), programa de microcrédito gerenciado pela Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT), alcançou a marca de R$ 1 bilhão emprestado neste mês. Para celebrar a marca e ratificar a importância socioeconômica do banco, que transforma o sonho de milhares de microempreendedores do Estado em realidade, será realizado um evento no Palácio dos Bandeirantes, a partir das 09h30 da próxima segunda-feira (20).

Entre outras autoridades, marcarão presença o governador Geraldo Alckmin, o vice-governador Guilherme Afif Domingos, o secretário de Estado do Emprego, Carlos Ortiz, ex-secretários da SERT no período de vigência do BPP, além de agentes de crédito de todo o Estado e diversas pessoas beneficiadas pelos empréstimos – que terão a oportunidade de expor seus produtos e contar os benefícios alcançados em função da verba concedida pelo programa, que já beneficiou mais de 282 mil microempreendedores no Estado.

“Estamos, neste mês de agosto, comemorando a marca de R$ 1 bilhão emprestado, e nossa expectativa é que esse número cresça expressivamente nos próximos anos”, afirma Antonio Mendonça, diretor-executivo do BPP. O programa de microcrédito – desenvolvido em parceria com as prefeituras locais – emprestou mais de R$ 100 milhões apenas no primeiro semestre deste ano, beneficiando mais de 20 mil microempreendedores de todo o Estado neste período. Atualmente, existem 498 agências espalhadas por 483 municípios.

O BPP não só contribuiu para o reconhecimento do potencial empreendedor de uma parte esquecida da sociedade, como vem fazendo o pequeno negócio se transformar em fonte de renda e de emprego à economia paulista.

Nos sete primeiros meses de 2012, foram concedidos mensalmente R$ 17,7 milhões em 3,4 mil operações em média. Onze agências vêm se destacando no decorrer da história. A capital paulista lidera o ranking de empréstimos e operações. Franca e Ribeirão Preto vêm em seguida. Confira o quadro:

MUNICÍPIO

POPULAÇÃO

INÍCIO OPERAÇÃO

QTD. OPER.

R$ EMPREST.

São Paulo

11.244.369

28/01/2010

5.474

23.880.068,23

Franca

318.785

07/05/1999

4.652

14.796.555,91

Ribeirão Preto

605.114

15/08/2000

3.430

11.969.179,28

Batatais

56.481

15/12/1999

3.043

11.051.792,89

Marília

216.684

24/01/2002

2.485

10.552.856,36

Matão

76.799

22/05/1999

2.753

10.023.455,39

São José do Rio Preto

408.435

31/01/2002

2.827

9.987.128,21

Rio Claro

186.299

03/11/1999

2.718

9.863.216,02

São Bernardo do Campo

765.203

19/05/2000

3.032

9.849.327,68

Santos

419.757

03/06/2002

2.940

9.246.866,73

Presidente Prudente

207.625

23/09/1998

2.667

9.215.529,29

Sobre o programa

O objetivo é promover geração de emprego e renda. Os empréstimos concedidos variam de R$ 200 a R$ 15 mil, com uma taxa de juros de 0,5% ao mês (a menor do país). A implantação do programa é feita por meio de parcerias com os municípios. O Estado participa com 90% dos recursos financeiros para a constituição do Fundo de Investimento de cada cidade, seleciona e treina os agentes de crédito, além de gerenciar e supervisionar as atividades operacionais. Por sua vez, é de responsabilidade dos municípios parceiros disponibilizarem o espaço físico, infraestrutura, recursos humanos, manutenção da unidade local e a participação financeira de 10% do Fundo Municipal.