Banco do Povo Paulista empresta R$ 93 milhões em 2015

 BPP é alternativa para quem procura abrir um novo negócio

Acordar cedo. Abrir a loja. Etiquetar produtos. Arrumar o caixa. Essa tem sido a rotina de Carla Betânia, 40, e Érica Cristina, 39, nos últimos três meses, quando tiveram a ideia de abrir um comércio de artigos religiosos no Jardim Ubirajara, Zona Sul de São Paulo. “Era um sonho que se tornou realidade”, afirma Carla, que tomou a iniciativa e convidou sua amiga para o empreendimento. “Foram quase três anos de planejamento que se concretizaram.”

Carla é dona de uma loja de artigos religiosos

A loja é especializada em Candomblé e Umbanda, religiões que somam mais de um milhão de seguidores no Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Velas, estatuetas, incensos, livros, entre outros objetos, fazem parte do dia a dia das duas empreendedoras que, graças ao empréstimo feito pelo Banco do Povo Paulista (BPP), têm conseguido aumentar seus lucros a cada mês. “Desde quando abrimos, nosso faturamento triplicou, o que nos motiva a continuar”, diz Carla.

As condições oferecidas pelo BPP foram importantes para a abertura do negócio. “Fiquei impressionada com a taxa de juros [0,35% ao ano]. É muito baixa! Foi fundamental”, disse. “Além disso, o Augusto [agente de crédito] deixou tudo mais fácil para a gente. Nos deu atenção e agilizou todo o processo. Em menos de um mês, já estávamos com toda papelada acertada.”

Em três meses, faturamento da loja Sol do Oriente triplicou

Por influência de amigos, Carla decidiu seguir o Candomblé aos 18 anos. Apesar de, no início, não ter apoio de seus pais, conseguiu manter sua fé. A loja “Sol do Oriente” é uma realização para a sua vida. Sua localização estratégica também foi fundamental para o sucesso da loja. “Tem vários terreiros aqui em volta, além da Igreja Católica que tem ‘aqui atrás’, onde muitos vêm comprar santos”, explica a comerciante, satisfeita com as vendas.

Carla é uma das mais de 16 mil pessoas que solicitaram empréstimos ao Banco do Povo no primeiro semestre deste ano. No total, R$ 93 milhões foram emprestados a microempreendedores de todo o Estado. “Sem a ajuda do BPP, não conseguiria abrir minha venda e não teria os resultados que estou conseguindo agora”, diz Carla.

A ação, coordenada pela Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT), oferece financiamentos para empreendedores de micros e pequenos negócios, para capital de giro e investimento fixo, como forma de viabilizar o desenvolvimento social e econômico. Os empréstimos variam de R$ 200 a R$ 20 mil. No total, são 537 agências ativas espalhadas por todo o Estado.

Dicas para quem quer começar

Neste momento de crise, o empreendedorismo é uma alternativa de fonte de renda. Para um bom desenvolvimento do negócio, é necessário desenvolver algumas características importantes. “É importantíssimo que o empreendedor tenha a iniciativa de começar, enxergar novas oportunidades. Também deve ter persistência e confiança para enfrentar os obstáculos que podem surgir no caminho”, explica o diretor-executivo do BPP, Marcos Wolff.

“Achar que empreender é coisa fácil é um perigo para quem pensa em abrir um negócio”, adverte o coordenador de pesquisas do Sebrae São Paulo, Marcelo Moreira. “O trabalho e as decisões iniciais tendem a se concentrar em uma única pessoa: o dono. Por isso, saber estabelecer metas, objetivos claros e checar seus atingimentos é fundamental nos estágios iniciais de uma empresa.”

Com a menor taxa de juros do mercado, O BPP é uma opção para iniciar um empreendimento com crédito fácil. “Os agentes de crédito são orientados a acompanhar o dia a dia de cada uma das microempresas beneficiadas pelos empréstimos do banco, ajudando o crescimento e desenvolvimento”, afirma Wolff.

Mais sobre o BPP

Em mais de 15 anos de atuação, o Banco do Povo Paulista emprestou mais de R$ 1,5 bilhão e beneficiou mais de 390 mil famílias em todo o Estado. As linhas de crédito do BPP variam de R$ 200 a R$ 20 mil (pessoas físicas e jurídicas) e podem ser pagas em até 36 meses. O BPP tem juros mensais de 0,35%, a menor taxa do Brasil.

Produtores rurais, mutuários da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), motofretistas e taxistas também têm linhas especiais de crédito através do Banco. A taxa de juros é a mesma oferecida aos microempreendedores, 0,35% mensais.

– Mutuários da CDHU
O valor do empréstimo varia de R$ 200 a R$ 7,5 mil, que podem ser pagos em até 36 vezes.

– Motofretistas
Os motofretistas, podem se beneficiar com até R$ 6 mil para compra de novas motocicletas ou de equipamentos para atender à nova regulamentação do Denatran.

– Taxistas
Profissionais desse setor podem solicitar até R$ 7,5 mil e quitar as parcelas em até 24 meses.

Para conferir a relação completa de endereços das agências, acesse:www.bancodopovo.sp.gov.br.

 

Gabriel Luna (colaboração: Lucas Queiroz)
Assessoria de Imprensa da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT/SP)