Elas no comando

Maria Neuza Araujo solicitou empréstimo para a renovação do seu salão de beleza (foto: Paulo Cesar Rocha)

Mulheres lideram empréstimos do Banco do Povo Paulista; foram R$ 100 milhões solicitados nos últimos 12 meses

Empreendedorismo vestido de rosa. Os versos de que é “preciso ter força, raça e gana sempre” nunca estiveram tão em alta no mundo dos negócios, sobretudo em São Paulo. Nos últimos 12 meses, 51,2% dos empreendedores que procuraram uma das 524 agências do Banco do Povo Paulista (BPP) espalhadas pelo Estado são mulheres.

As empreendedoras foram responsáveis por aproximadamente R$ 100 milhões emprestados pelo BPP no período. E a tendência é que esses números aumentem, já que o Banco, o maior programa de microcrédito estadual do país gerenciado pela Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT), recentemente, reduziu taxa de juros mensais e ampliou o limite de crédito.

“O governo do Estado de São Paulo, por meio do governador Geraldo Alckmin, não mediu esforços para baratear o crédito paulista e veio na contramão do que temos acompanhado no país. Assim, esperamos que cada vez mais empreendedores desenvolvam suas atividades produtivas com o auxílio do Banco do Povo Paulista”, diz Tadeu Morais, secretário de Estado do Emprego. “A taxa atual de 0,35% ao mês é a menor no cenário econômico nacional, isso sem falar do aumento no limite de empréstimo, que passou para R$ 20 mil, que podem ser parcelados em até 36 vezes”, acrescenta.

De acordo com o diretor-executivo do BPP, Antonio Mendonça, as mulheres foram responsáveis por mais de 17,8 mil contratos firmados no período apurado. “Entre as ocupações, podemos destacar as cabeleireiras, as costureiras e as vendedoras autônomas. A mulher busca alternativas para melhoria na qualidade de vida, seja por melhores postos de trabalho, seja no mundo do empreendedorismo”, destaca.

“A gente paga que nem sente”

Radicada na capital paulista há 29 anos, a maranhense de Presidente Dutra, Maria Neuza Araujo, 45, procurou a unidade da Penha do BPP, em maio de 2012, para investir no salão de beleza que tem em sociedade com sua irmã.

Casada e mãe de dois filhos, a cabeleireira da região do Tatuapé, que emprega duas manicures, usou R$ 7,5 mil para a compra dos móveis. “Troquei tudo: as cadeiras, o lavatório, o carrinho auxiliar (para manicures). Parcelei em 36 vezes. A gente paga que nem sente. O empréstimo foi responsável por tornar o nosso ambiente de trabalho mais agradável”, conta.

Otimização do negócio

Com o último empréstimo, Kelly Cristina comprou um trator para sua empresa de produção de leite (foto: Paulo Cesar Rocha)

Em Avaré, a criadora de bovinos para produção de leite, Kelly Cristina de Oliveira, 38, já está em seu terceiro empréstimo. Cliente do BPP desde 2009, a empreendedora, casada e mãe de dois filhos, solicitou R$ 13 mil recentemente para a aquisição de um trator, que proporcionará maior agilidade no dia a dia.

Perfil nacional

Os números do BPP se aproximam da última pesquisa divulgada pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), que firmou parceria para a instalação de 12 unidades do BPP em escritórios na Capital.

O estudo aponta que 52% dos empreendedores com menos de três anos e meio de atividade são do sexo feminino. Segundo o Sebrae, a força empreendedora feminina é maioria em quatro das cinco regiões brasileiras. Apenas no Nordeste elas ainda não ultrapassaram os homens, mas estão quase lá, com aproximadamente 49% de participação entre os novos empresários. Boa parte desse resultado pode ser creditado à força do mercado interno brasileiro e a flexibilidade para administrar o próprio tempo, dividido entre a empresa e demais atividades da vida familiar.

Mais sobre o BPP

Em 15 anos, o programa emprestou mais de R$ 1,27 bilhão a 336,2 mil empreendedores. São 514 cidades atendidas atualmente. O BPP beneficia empreendedores formais ou informais, urbanos e rurais, microempreendedores individuais, produtores rurais, cooperativas e associações de produção formalmente constituídas do município.

Podem solicitar empréstimos pessoas físicas ou jurídicas (ou seja, os informais também podem se beneficiar) desde que não ultrapassem faturamento mensal de R$ 30 mil. Trata-se de crédito para fins produtivos. O BPP não faz empréstimo para consumo. Depois de ter o cadastro aprovado, o empreendedor recebe o dinheiro em até 72 horas.

Além dos microempreendedores, o BPP disponibiliza linhas de créditos especiais destinadas a mutuários da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) que desejam reformar ou ampliar o imóvel, a motofretistas que precisam se adequar à nova regulamentação do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a taxistas que queiram investir na profissão e produtores rurais. A taxa de juros é a mesma oferecida aos microempreendedores.

Visando a capacitação do empresariado, o programa da SERT ainda oferece dez mini-cursos gratuitos no formato de ensino à distância, através da Escola do Empreendedor Paulista. No site: www.escoladoempreendedor.sp.gov.br

Confira relação completa de agências, no site: www.bancodopovo.sp.gov.br

Tadeu Inácio

Assessoria de Imprensa da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT)