Estado insere mais de 1,1 mil aprendizes no mercado de trabalho

“Como aprendiz, adquiro experiência e responsabilidade". A aprendiz Daniele atende clientes de uma distribuidora de materiais elétricos (foto: Paulo Cesar Rocha)

Programa Aprendiz Paulista registra crescimento de 40,2% no comparativo com o ano passado; destaque para estudantes de administração

São Paulo, 28 de novembro de 2015 – Promover experiência profissional para estudantes do ensino técnico, com idade entre 14 e 24 anos. Esse é o principal objetivo do Aprendiz Paulista, programa coordenado pela Secretaria estadual do Emprego e Relações do Trabalho (SERT), em parceria com o Centro Paula Souza. De janeiro a outubro deste ano, foram 1.181 jovens inseridos no mercado de trabalho.

Este número representa um aumento de 40,2% em relação ao mesmo período de 2013, que somou 842 jovens admitidos. Para o secretário de Estado do Emprego, Tadeu Morais, o programa atende a necessidade das empresas por mão de obra qualificada. “Toda essa intermediação é gratuita e beneficia tanto os estudantes das ETECs que estão à procura de uma oportunidade, como os empregadores que desejam preencher as vagas ofertadas”, resume.

O programa atende alunos de 218 ETECs distribuídas em 161 municípios do Estado. A Região Metropolitana de São Paulo lidera as admissões, com 647 jovens beneficiados. Campinas, Sorocaba, Marília e Ribeirão Preto também se destacam. No total, são 99 cursos oferecidos. Administração, logística e mecânica são os que mais atendem os jovens. Confira tabela:

Ranking de cursos

Curso

Admitidos

Administração

609

Logística

126

Mecânica

72

Informática

55

Secretariado

50

 

Aprendizado para a carreira

Em busca da primeira experiência profissional, os estudantes de administração Thiago Almeida, 18, e Daniele Santana, 17, contam que as habilidades desenvolvidas nas aulas teóricas são postas em prática no trabalho.

“O curso dá base para entrarmos no mercado de trabalho com qualidade”, afirma Thiago, aprendiz em uma empresa do ramo alimentício em Campinas, onde mora. “A experiência me mostra a rotina administrativa na prática”, conclui o jovem, que conheceu o programa através de um anúncio na ETEC Bento Quirino.

Daniele, que também conheceu o Aprendiz Paulista em sua escola, a ETEC Jaraguá, trabalha há cinco meses no setor de atendimento ao cliente de uma distribuidora de materiais elétricos. “Como aprendiz, adquiro experiência e responsabilidade. Tudo o que aprendo no curso é aplicado diariamente no ambiente de trabalho”, diz.

Satisfação do empregador por mão de obra qualificada

Os benefícios na contratação dos aprendizes são destacados por Cristiane Novaes, assistente de departamento pessoal na mesma empresa de Daniele. “O aprendiz tem uma motivação diferente, se interessa, tem boa disponibilidade de tempo e assimila com facilidade aquilo que é passado”, explica. Ela revela que “a ideia é aumentar o número de aprendizes contratados para o ano que vem.”

Mais sobre o programa

A contratação do aprendiz é feita em regime CLT, por meio de um contrato especial por tempo determinado e registro em carteira profissional, desde o dia que o jovem inicia na empresa até a data do final do curso. Segundo a lei 10.097/00, empresas de médio e grande porte devem destinar de 5 % no mínimo a 15% de suas vagas a aprendizes.

A jornada de trabalho proposta é de até oito horas, incluindo aulas teóricas e práticas, de segunda a sexta-feira. O atendido recebe salário mínimo-hora pago pelo empregador de R$ 3,29 a hora. Caso a empresa possua acordo ou convenção coletiva para salário, esta condição se aplica ao aprendiz.

Para realizar o cadastro gratuito, aluno e empresa devem acessar: www.empregasaopaulo.sp.gov.br

Gabriel de Luna e Angélica Dias

Assessoria de Imprensa da SERT