Frente de Trabalho: mais uma etapa de implantações no interior

Equipe esteve nas regiões de São José do Rio Preto, Barretos e Franca

São Paulo, 2 de setembro de 2016 – Elvis quer ser cabeleireiro. Maria de Fátima já foi varredora de rua. Adriana está há dois anos fora do mercado de trabalho. Maísa quer entrar nele. Esses são alguns dos bolsistas escolhidos para participar do Programa Emergencial de Auxílio-Desemprego (Pead) – Frente de Trabalho, implantado nos dias 1 e 2 de setembro em mais nove municípios: Pedranópolis, Votuporanga, Palestina, Ipiguá, Orindiúva e Paulo de Faria (região de São José do Rio Preto), Guaraci (região de Barretos), Guará e Ituverava (região de Franca).

O secretário-adjunto do Emprego e Relações do Trabalho, Eufrozino Pereira, representou a Pasta, contando com a companhia dos diretores da SERT em Barretos, Enilson Roberto da Silva, e Franca, Augusto Cardoso, nas respectivas regiões, bem como do supervisor do programa, Roberto Mazini.

Em Pedranópolis, os anfitriões foram o prefeito Belizário Ribeiro Donato e o coordenador da Frente, Sebastião Cruz; em Votuporanga, o vice- prefeito Valdecyr Bortoloti e o secretário de Direitos Humanos Flavio Liévana.

Em Guaraci, a equipe foi recebida pela diretora de Assistência Social Adriana Sartoreli e, em Guará, pelo prefeito José Antônio Yosset Abbud, ao lado do representante de Ituverava, o coordenador da frente Tesley Tiago.

Em Palestina, a primeira-dama Denise Semedo e os coordenadores da Frente na cidade, Fábio Cortez; de Ipiguá, José Carlos Falcão Junior; de Orindiúva, Cleber Martins Malheiro; e de Paulo de Faria, Carlos Eduardo Bueno da Silva, todos representando os prefeitos.

palestina 7Os prefeitos e representantes foram unânimes em falar da importância do programa e da atenção que o Governo do Estado tem dado àqueles que realmente estão precisando desse auxílio em virtude da crise. Também ressaltaram a relevância da qualificação incluída na bolsa e a necessidade de dedicação às atividades, porque ao ser “notado” o bolsista pode eventualmente conseguir um emprego propriamente dito.

Pereira levou a saudação do governador Geraldo Alckmin e do titular da SERT, José Luiz Ribeiro, lembrando que todos eles são do interior e conhecem bem as diversas realidades. Falou do empenho em melhorar o valor da bolsa, mas salientou os ajustes de orçamento que foram imprescindíveis também nos órgãos públicos e da alta demanda vinda dos diversos municípios.

“Essa é, na verdade, uma frente social. Na ascensão, São Paulo é o Estado que mais emprega. Mas, na crise, é justamente o contrário. Temos visto entre os bolsistas muita mãe de família que quer ajudar no orçamento ou mesmo que é sozinha. Na semana passada, o Zé Luiz também percorreu vários municípios. Fazemos com muito prazer. Respiramos um ar mais puro, as pessoas nos recebem de braços abertos, são dadas oportunidades a quem precisa. Que cada um cumpra com muita boa vontade e consiga voltar rapidamente ao mercado”, disse Pereira.

Histórias
Elvis Henrique Miranda de Campos, 19 anos, concluiu o Ensino Médio e acaba de iniciar um curso de cabeleireiro. Sua experiência anterior era como auxiliar. Mas ele sonha ter o próprio salão em Pedranópolis, onde vive há dois anos com o pai, a madrasta e a mãe dela. Filho de pedreiro, passou quatro anos seguidos por cirurgias (a mais recente em fevereiro), por ter crescido demais. Acabou estudando somente até o primeiro ano do Ensino Médio. “Quebra o osso do peito, coloca ferro. Ainda dói. E evito tirar a camiseta”, confidenciou. Com o dinheiro “curto” da família, o pouco serviço que entrou no período da mudança, o rapaz está otimista com a oportunidade. “Veio numa boa hora”, sorriu, com ar tímido.

Maria de Fátima Anastácio, 46 anos, é casada. Mãe de oito filhos, os de dez e 14 ainda vivem com ela. Boa parte da vida trabalhou no campo. Vivia em Fernandópolis, mas há cerca de sete anos mudou-se para Pedranópolis para morar com companheiro, que adoeceu gravemente. Recebem um salário mínimo e ajuda eventual da filha mais velha, que trabalha com telemarketing. Faz crochê para complementar a renda. O fato de ter estudado apenas até a quarta série não colabora para arranjar uma colocação. Já havia prestado serviço pela Frente de Trabalho em outra ocasião, varrendo as ruas. Soube da abertura de inscrições por um amigo. “É uma delícia. O valor não é alto mas ajuda muito, é uma benção! E é bom pra conhecer mais gente, ver a cidade mais limpa”, comentou.

palestina 2Adriana da Silva Queiroz, 34 anos, há dois está sem trabalho. Moradora de Ipiguá, não conseguiu mais emprego como auxiliar de produção (a empresa mais recente em que atuou era do ramo de plásticos). A demissão veio meses depois de um aborto espontâneo. Para completar, sofreu a perda de uma outra pessoa próxima. “2014 foi o pior ano da minha vida. Só tristeza”, desabafou. Mas em 2015 as coisas começaram a melhorar, e essa vaga na Frente ajuda a “coroar” o novo momento. “Engravidei de novo. Recebi muita doação. Em setembro, minha filha faz um ano”, festejou. Mãe também de um garoto de dez, a renda de ajudante de eletricista do marido é apertada. “Dá praticamente para pagar o aluguel e comer. Por isso preciso trabalhar. Meu empenho é conseguir alguma coisa depois. Trabalho onde estiverem precisando.”

Maísa Figueira Baptista, 22 anos, vive com a mãe Helena Aparecida Figueira Martins, 56 anos, em Palestina. A moça tem um comprometimento leve da síndrome de down. Sua “companheira”, uma doença autoimune. Mas ambas conseguem alguma renda fazendo peças de crochê. A bolsista é Maísa, que estava feliz da vida. Até então, só tinha cuidado de crianças, mas sem ganhar nada. “O que ela quer é trabalhar”, diz a mãe. Ex-participante do Time do Emprego, outro programa da SERT, ela participa de vários projetos na cidade. “Tudo o que aparece. E eu faço também, para acompanhar”, conta Helena. Maísa concluiu o colegial, “aprendendo do jeito dela”, como descreveu a mãe, e agora está ansiosa por começar.

Sobre a Frente de Trabalho
Criado pela Lei Estadual 10.321 de 8 de junho de 1999 e regulamentado pelos Decretos 44.034/99, 44.731/00, 47.765/03 e 49.017/04, o programa tem como objetivo oferecer ocupação, qualificação profissional e renda para cidadãos que estão desempregados há pelo menos um ano e em situação de alta vulnerabilidade social. Isso é feito por meio de atividades em serviços gerais, conservação e manutenção de órgãos públicos estaduais e municipais.

Podem participar maiores de 17 anos e residentes há pelo menos dois anos no Estado. O bolsista desenvolve suas atividades por até nove meses, com jornada de seis horas diárias, quatro dias por semana, sendo o quinto dia destinado a um curso de qualificação profissional ou alfabetização. Os inscritos passam por avaliação socioeconômica para ingresso.

O beneficiado recebe, mensalmente, bolsa-auxílio de R$ 300, seguro de acidentes pessoais e auxílio-deslocamento, quando necessário. Em caso de óbito em função de acidente durante o período de duração do contrato, a família tem direito a seguro de vida. São reservadas 3% das vagas para pessoas com deficiência e 2% para atendimento de egressos do sistema penitenciário. A participação na Frente não constitui vínculo empregatício, já que tem caráter assistencial e de formação profissional.

Outras implantações
No dia 22 de agosto foi iniciada uma Frente dentro do Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo (Fussesp). Nos dias 25 e 26, foi a vez de Urânia, Aspásia, Zacarias, Mendonça, Ubarana, Nova Aliança, Novais, Catiguá, Elisiário, Tabapuã, Marapoama, Uchoa e Paraíso (região de Rio Preto), Pirangi, Taiaçu e Embaúba (região de Barretos), Suzanápolis, Lourdes e General Salgado (região de Araçatuba).

Para este ano, entre os meses de agosto e setembro, serão disponibilizadas duas mil bolsas, metade para o interior e a outra para Grande São Paulo e Capital. Estão liberados recursos da ordem dos R$ 6 milhões entre 2016 e 2017, sendo R$ 2,4 milhões para este ano. Em 2015, o programa atendeu 1.826 bolsistas, em 65 municípios.

Assessoria de Comunicação da SERT
Texto:
Adriana Rota
Fotos:
Paulo Cesar Rocha

Veja mais: 
Pedranópolis:
http://bit.ly/2cujIQr
Votuporanga:
http://bit.ly/2cnguhd
Palestina:
http://bit.ly/2ceRnzX
Guaraci:
http://bit.ly/2c6vnFT
Guará:
http://bit.ly/2cinIUH