Lei de Cotas completa seu 27º aniversário

Celebração contou com a presença do PADEF

São Paulo, 24 de julho de 2018 – Nesta terça-feira (24 de julho), ocorreu o evento em comemoração aos 27 anos da Lei de Cotas. A celebração foi realizada no Parque do Ibirapuera, na Zona Sul de São Paulo, gratuitamente, e contou com apresentações artísticas de pessoas com deficiência (PCDs).

O evento foi organizado coletivamente por representantes de órgãos públicos, empresas, sindicatos e organizações da sociedade civil, e teve como objetivo conscientizar e sensibilizar as pessoas sobre a importância da inclusão profissional e do trabalho decente para as pessoas com deficiência.

Neste ano, a comissão organizadora preparou uma carta de compromisso que será entregue aos candidatos à Presidência da República com o objetivo de buscar um comprometimento maior do futuro representante do País em relação ao tema.

A abertura do evento contou com a presença do idealizador do Espaço da Cidadania de Osasco, Carlos Aparício Clemente, da curadora do Memorial da Inclusão, Elza Ambrosio, do superintendente regional do Trabalho em São Paulo, Marco Melchior, da secretária-adjunta da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida do município de São Paulo, Marinalva Cruz, e do juiz do Trabalho Milton Amadeu Júnior.

O PADEF (Programa de Apoio à Pessoa com Deficiência), gerenciado pela Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Estado de São Paulo (SERT), marcou presença orientando os interessados sobre como concorrer às vagas de emprego e ter acesso a outros programas da Secretaria.

A responsável pelo PADEF, Carmen Guerra, que tem uma má-formação no quadril esquerdo, tornou-se profunda conhecedora da realidade das PCDs após sete anos no programa. Ela destaca a importância dele em sua jornada pessoal. “Lá dentro eu me formei, me casei e tive meu filho. O PADEF faz parte da minha história!”, emocionou-se.

O evento estava cheio, com a presença de PCDs, familiares e amigos, além de instituições e empresas que possuem programas voltados à causa. Uma delas, grande rede de lojas de departamentos do País, levou vários de seus funcionários à cerimônia.  Dentre eles estava Anilson de Moraes Melo. Nascido com nanismo, ele trabalha no local há um ano e dois meses como assistente administrativo e iniciou sua vida profissional aos 14, ainda como menor aprendiz.

Estudante de Engenharia e Gestão de Qualidade, filho de uma mãe com a mesma deficiência, aprendeu com ela a não se abater. “Não importa o grau da deficiência, é preciso sair da zona de conforto! Não podemos deixar que os outros nos reprimam e nem que nos tratem como coitados, nem em nosso ambiente familiar e muito menos no ambiente de trabalho. Precisamos mostrar que somos eficientes, que temos um dom, identificar em nós mesmos ‘sou bom nisso, sou bom naquilo’, seja para o que for”, ensina.

Sobre a Lei de Cotas

A Lei de Cotas (Lei Federal nº 8.213/1991) é uma política de ação afirmativa que garante cota de vagas para pessoas com deficiência em empresas com cem ou mais funcionários. O Brasil possui 45 milhões de pessoas com deficiência, porém apenas 418 mil profissionais estão empregados, o que representa menos de 1% dos empregos formais.

O direito ao trabalho para a PCD está garantido em tratados e normas internacionais das Organizações Internacional do Trabalho e das Nações Unidas. A oferta de emprego pleno, produtivo e trabalho decente para todos é um dos 17 objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS ONU).

Texto: Mariane Zanon

*com informações da Assessoria da Câmara Paulista para Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho