Ortiz celebra formatura de 94 bolsistas da Frente de Trabalho

Clima festivo marcou cerimônia. Ao longo de 13 anos, o programa já beneficiou mais de 450 mil pessoas em todo o Estado

Depois de implantar mais de 530 bolsas da Frente de Trabalho nas cidades de Cajati e Jacupiranga, na última sexta-feira (21), o secretário de Estado do Emprego, Carlos Ortiz, participou – pela primeira vez em sua gestão – de uma formatura do programa, em Ilha Comprida. Na ocasião, 94 certificados foram entregues dos seguintes cursos: Horticultura Orgânica (71) e Processamento e Manipulação do Pescado e Boas Práticas de Fabricação (23).

O Espaço Cultural Plínio Marcos, que fica na Avenida São Paulo, 1000 – Balneário Adriana, foi o local escolhido para a confraternização dos bolsistas e recebeu mais de 100 pessoas em um clima de muita festividade. Além de Ortiz, marcaram presença o prefeito local, Décio José Ventura; o diretor regional da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho, Márcio Borges; e Luciano Lourenço, coordenador do programa.

Em seu discurso, Ortiz ressaltou a importância do evento, sobretudo pela oportunidade de contribuir na vida das pessoas contempladas. “É um imenso prazer poder homenagear cada um de vocês (bolsistas). A partir de hoje, vocês têm a oportunidade de colocar em prática tudo o que puderam aprender no período do programa (nove meses), seja como empregado ou empregador”, afirmou.

As palavras do secretário foram ratificadas por Maria Benedita Dias, a “Regina”, de 60 anos. Natural de Ruanda e mãe de 23 filhos (10 deles adotados), a doméstica não escondeu a felicidade por receber o primeiro diploma de sua vida, no curso de Horticultura. “Foi muito bom o aprendizado, inclusive as técnicas de adubagem orgânica, como a compostagem. São ensinamentos que ficam para a vida inteira”, disse. “Agora, espero introduzir as técnicas aprendidas no quintal da minha casa e também aproveitar as terras de alguns amigos, que não sabem como utilizá-la”, emenda.

Deste modo, Regina, que reside na Ilha há mais de 30 anos, pretende trabalhar com plantios de verduras e legumes para melhorar a vida de seus 18 netos e dois bisnetos.

Ao final do evento, os presentes puderam experimentar alguns produtos do pescado ensinados durante o curso, entre eles: linguiça, hambúrguer e nuggets. “Realmente, são de extrema qualidade. Uma delícia”, finalizou Ortiz.

Mais sobre o programa

Criada em 1999, a Frente de Trabalho objetiva proporcionar qualificação profissional e renda à população desempregada e em situação de alta vulnerabilidade social. Tem duração de nove meses e 150 horas de qualificação.

Os bolsistas recebem mensalmente bolsa-auxílio de R$ 210, crédito para a compra de alimentos no valor de R$ 86 e seguro de acidentes pessoais. No período, os participantes devem prestar serviços de interesse local (quatro dias da semana – 6h/dia) e, a partir do terceiro mês, frequentar o curso de qualificação profissional oferecido pela SERT, de acordo com a necessidade do município.

Para se inscrever, é preciso ser maior de 17 anos, estar desempregado há pelo menos um ano, residir no Estado de São Paulo há no mínimo dois anos, não ter familiar participante do programa e não receber qualquer benefício social equivalente.

Confira fotos no Flickr