Por causa da mulher

por Tadeu Morais

Faz quase 100 anos que as mulheres americanas resolveram sair às ruas em busca de melhores condições de vida e, claro, de trabalho. De lá pra cá, a mulher foi estudar, se especializar, definitivamente entrou no mercado profissional e hoje disputa, em quase condições de igualdade, posições e salários.

Se não fosse o “quase”, o Dia Internacional da Mulher poderia ser comemorado em sua integralidade.  Ainda não pode. Mas os avanços conquistados são inegáveis e o caminho traçado não permite retrocessos.

Da entrada tímida nos anos 70, a mulher passou confiante pela fase da economia estagnada dos anos 80. Chegou aos 90, década marcada pelo crescimento econômico, com força. E não parou mais.

O que se tem hoje é um mercado de trabalho que absorve com muito menos discriminação homens e mulheres. Ponto para elas que lutaram sem direito a nada, sem o apoio de ninguém, sem interferência de leis ou decretos.

Por causa da determinação da mulher, muitas viraram presidente de instituições, de pequenas, médias e grandes empresas. De países. Por causa da capacidade de trabalho da mulher, muitas famílias são sustentadas. Por causa da perseverança da mulher, muitas crianças têm um lar. Por causa da sensibilidade da mulher, muitas injustiças foram evitadas. Por causa da mulher, vivemos hoje uma sociedade mais humana.

A Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT) enxerga, em suas mais variadas ações, o poder da participação feminina. É delas metade do volume de empréstimos realizado pelo Banco do Povo Paulista. É delas a grande maioria das vagas das nossas Frentes de Trabalho. As preocupações em conquistar uma melhor chance no mundo corporativo as fazem dominar turmas do Time do Emprego. E quantas e quantas mulheres com deficiência procuram a SERT através do PADEF (Programa de Apoio à Pessoa com Deficiência).

Esse 8 de março, mais que comemorar (embora a mulher possa fazê-lo com autoridade), é o momento certo para abrirmos novas discussões. Data para repensar, e nos unirmos,  para continuar na luta pela igualdade de oportunidades, salários e direitos.

A SERT deseja a todas as mulheres – profissionais, estudantes, mães – um dia feliz e que essa caminhada continue rumo a uma sociedade livre de preconceitos, mais justa e mais inclusiva.

Tadeu Morais é secretário estadual do Emprego e Relações do Trabalho