Precisamos falar de decência, ética e responsabilidade

Vivemos tempos difíceis. Sei que afirmar isso é lugar-comum diante de tantas barbaridades que temos visto nos jornais ultimamente, que vão de casos de violência assustadores a escândalos políticos aterradores. Mas precisamos falar de decência, ética e responsabilidade. Sabe por quê? Porque aplicar esses conceitos depende de cada um de nós, no dia a dia, nas nossas relações familiares e profissionais. Você e eu temos tudo a ver com isso!

Fico feliz de neste espaço poder expor o que penso, ao mesmo tempo em que divido com vocês ações encabeçadas pela Secretaria que represento que dizem respeito justamente ao esforço de tornar nossa sociedade mais justa e o mundo um lugar melhor para se viver. E acreditem, tudo começa numa pequena atitude.

Então, falemos sobre o ambiente de trabalho. Entre seus colegas há diversidade sexual, de etnias, mulheres e homens em condições de igualdade, pessoas com deficiência, funcionários jovens e os mais experientes convivendo, produzindo, trocando?

Se não, acredite: existe algo a ser melhorado aí. Mais dia, menos dia, o empregador terá de implantar práticas que privilegiem essa mescla, sob pena de perder mercado ou até sair dele. Aos funcionários caberá se adequarem às novas realidades, ou também estarão fora.

O programa Trabalho Decente faz, anualmente, a diplomação das empresas que oferecem, sim, serviços ou produtos dentro das normas, só que mais do que isso, garantem dignidade à mão de obra contratada.

Ele existe desde 2013, graças a uma parceria com a Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (Fesp), e conta com nove empresas, algumas muito conhecidas. Elas são auditadas em quesitos como jornada de trabalho, estabilidade, segurança, entre outros, definidos pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Outra certificação é o Selo Paulista da Diversidade, instituído em 2007, e que já tem 35 participantes de “peso”, dentre organizações públicas, privadas e da sociedade civil que entenderam a necessidade de difundirem a cultura do respeito, da valorização e da igualdade.

O foco são as boas práticas, estrategicamente voltadas à competitividade, mas que abominam quaisquer atos e ações que atentem contra a cidadania. Certificadoras homologadas cuidam do processo, todo baseado em convenções internacionais, e a SERT é responsável pela coordenação, auxiliada por um comitê composto por outras secretarias de Estado e membros da sociedade.

A você, empregador, fica meu convite pessoal para que conheça melhor nossos programas. Meu gabinete está de portas abertas. Aos profissionais de RH que quiserem detalhes, façam contato com a gente! O pessoal do Selo Paulista da Diversidade atende pelo telefone 11 3241-7489 e email sediversidade@sp.gov.br. No Trabalho Decente, os contatos são 11 3241-7220 e conferenciatrabalhodecente@sp.gov.br.

Queremos você na nossa próxima cerimônia de diplomação. E podermos dividir com aqueles que buscam bons exemplos dentro de nosso Estado a sua experiência positiva, a satisfação e a harmonia alcançadas dentro do seu negócio. É assim, tijolinho por tijolinho, que conseguimos mudar realidades. Até mais!

José Luiz Ribeiro, o Zé Luiz, é o titular da Secretaria de Estado do Emprego e Relações do Trabalho (SERT); vereador licenciado da Câmara de Piracicaba; presidente licenciado do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos da cidade; diretor licenciado da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, da Força Sindical e da Confederação Nacional dos Metalúrgicos.