Ribeirão Preto – Em evento, Banco do Povo define ações e estratégias

São Paulo, 22 de setembro de 2017 – O Banco do Povo Paulista reuniu mais de cem pessoas na última quarta-feira (20 de setembro), em Ribeirão Preto, para definir ações e estratégias de atuação. Esse foi o 14º encontro do gênero, com representantes de 41 municípios. A iniciativa vem sendo realizada desde o final de 2016 e seguirá até fim deste ano. O evento ocorreu na sede da Fundação Armando Alvares Penteado (Faap).

O coordenador do curso Gerente de Cidades da instituição, Mário Pascarelli foi o anfitrião. Ele recepcionou o secretário estadual do Emprego e Relações do Trabalho, José Luiz Ribeiro, o prefeito Duarte Nogueira, o diretor-executivo do Banco do Povo Paulista, Marcos Wolff, e o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Serviços da cidade, Edmilson Domingues. O diretor-regional Ismael Colosi conduziu a cerimônia.

Zé Luiz iniciou sua participação agradecendo a ajuda que Nogueira dispensou a ele quando assumiu a SERT, com dicas que ajudaram o “caipira do interior” a iniciar na nova função, uma vez que o atual prefeito já havia atuado nesse campo antes. Depois do momento de descontração, afirmou que o País vive um dos momentos mais difíceis da história e que graças à gestão séria e à austeridade do governador Geraldo Alckmin o Estado não vive o “caos”. “Nas reuniões que participo do Fórum Nacional de Secretarias do Trabalho (Fonset) o que mais temos são relatos de que a maioria das prefeituras e governos de Estado não têm conseguido pagar salários”, mencionou.

“A inovação e a tecnologia chegaram e vão chegar mais. Dos 14 milhões de desempregados, nem metade deve voltar para o mercado. A saída vai ser se transformar em empreendedor, por isso o Banco do Povo é esse sucesso: gera emprego e renda. Mas isso não seria possível sem vocês, agentes de crédito e gestores. O banco vai se fortalecer ainda mais porque hoje tem um papel social importantíssimo na realização de sonhos, principalmente dos mais pobres. Vidas estão sendo mudadas, sonhos realizados e oportunidades estão chegando.”

O prefeito afirmou que o Banco do Povo é uma espécie de case de sucesso do Estado. “Implantado em 2000, firmou 352 contratos em Ribeirão este ano. Desde 2000, foram 6.602 contratos, com mais de R$ 2 milhões emprestados. Ele é um dos instrumentos de geração de microcrédito para despertar o empreendedorismo que está presente no provo brasileiro, que é um dos maiores empreendedores do planeta, por sua criatividade, inventividade, capacidade de articulação, de convencimento e da ciência e da arte de montar bons projetos.”.

Wolff falou da “missão” colocada pelo secretário, quando iniciou sua gestão, de que o Banco do Povo estivesse sempre próximo dos municípios. “Atuamos onde as instituições financeiras não atuam. Já existem programas de microcrédito, mas a taxa mensal equivale à anual do Banco do Povo. Não há nem comparação”. Ele emendou dizendo do empenho pessoal do secretário no avanço do programa, na defesa ferrenha que ele faz no conselho no convencimento dos membros quanto ao aspecto social.

Seguiu falando sobre aspectos administrativos que dizem respeito ao trabalho dos presentes, como a questão da inadimplência, novas parcerias e a migração para a Desenvolve SP – Agência de Desenvolvimento Paulista, novo agente financeiro no lugar do Banco do Brasil, o que fará cair pela metade a taxa de administração e aumentar a agilidade dos processos. “Vocês são a alma do programa, dão vida aos sonhos dos empreendedores. Esperamos que todos participem, critiquem, mandem propostas.”

A SERT em Ribeirão

Colosi apresentou aos participantes dados referentes à atuação da SERT no Centro Regional, que agrega 25 municípios incluindo a sede, Ribeirão Preto, com seus 1,3 milhão de habitantes e PIB de 33 milhões, correspondente a 2,5% do total estadual. São nove Postos de Atendimento ao Trabalhador (PATs), mais o atendimento do Poupatempo, 22 municípios aptos a realizarem o Time do Emprego e 23 agências do Banco do Povo na região, que já emprestaram mais de R$ 112 milhões, mais de 7,5 milhões só em 2017, e tem outros dez milhões disponíveis.

Pelo Time do Emprego, nos últimos seis anos, passaram quase 3,2 mil participantes, 539 em 2017, com quase metade saindo empregados. “Ribeirão foi dois anos consecutivos o primeiro lugar no Estado em número de turmas e participantes, com pioneirismo de levar para a Fundação Casa, projeto que inspirou todo o Estado”, disse.

Em 2016 foram mais de 175 mil atendimentos, entre intermediação de mão de obra, emissão de carteira de trabalho e seguro-desemprego. Desses, mais de 21 mil trabalhadores foram encaminhados ao mercado. “Temos seguido as orientações do secretário no sentido de não medir esforços para aproximar o trabalhador do emprego. Temos por exemplo ações e parcerias como a formada com o Sindicato dos Metalúrgicos de Ribeirão e Região, que cedeu salas para entrevistas e treinamentos dos empregadores que utilizaram os serviços do PAT. Também com a Prefeitura, com a instalação do posto em prédio municipal, o que proporcionou mais conforto e acessibilidade.”

Colosi informou, ainda, que dos dias 27 a 29 deste mês haverá capacitação de 20 novos agentes de crédito para a regional. Também que numa parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social, o Fundo Social de Solidariedade, o Ministério do Trabalho, INSS, entidades representativas, sindicatos e empresas vai realizar, no dia 29, o Dia D – Dia de Inclusão Social e Profissional das Pessoas com Deficiência e dos Beneficiários Reabilitados do INSS.

Saiba mais sobre o Banco do Povo: www.bancodopovo.sp.gov.br

Assessoria de Comunicação da SERT
Texto:
Adriana Rota
Fotos: Paulo Cesar Rocha
*veja mais imagens em: http://bit.ly/2yj5487