São Paulo na Copa do Mundo de Futebol

por Davi Zaia

Poucos eventos ensejam tantas oportunidades quanto a Copa do Mundo de Futebol que o  Brasil vai sediar em 2014, entre os meses de junho e julho. São esperados cerca de 500 mil turistas estrangeiros, além de dezenas de milhares de brasileiros. Como se sabe, São Paulo está entre as doze cidades-sedes do torneio, assim como, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife e Salvador.  

Serão necessários pesados investimentos e sinergia de esforços para a melhoria do sistema de transportes, segurança, acessibilidade, reforma de estádios e aeroportos, assim como na capacitação profissional de recursos humanos. O setor hoteleiro será um dos mais exigidos neste último aspecto.

Além de voluntários – cerca de 70 mil pessoas se ofereceram em diversos países para trabalharem na última copa do mundo na África do Sul, sendo 18 mil os selecionados -, teremos grande procura por profissionais especializados, capacitados e em condições de se comunicar com turistas de todas as partes do mundo.

A Secretaria de Emprego e Relações do Trabalho possui diferentes programas dirigidos a jovens e a pessoas de todas as faixas etárias e de diferentes graus de formação escolar. É o caso do Programa Estadual de Qualificação Profissional (PEQ), dirigido aos trabalhadores, de baixa escolaridade, na faixa etária de 30 a 59 anos, mas que se encontram em plena capacidade produtiva.

A esse público são oferecidos cursos de habilitação geral e específica, com reforço escolar. São 154 cursos gratuitos de até três meses de duração em áreas como comércio, indústria, construção civil, turismo, administração, atendimento, informática e telemarketing.

O programa faz parte do sistema Emprega São Paulo (www.empregasaopaulo.sp.gov.br) de intermediação de mão de obra, que tem mais de 3 milhões de pessoas cadastradas e 200 mil empregadores oferecendo vagas de emprego. O sistema beneficiou mais de 400 mil pessoas que conseguiram colocação no mercado de trabalho. Os candidatos são contatados via SMS para as entrevistas de emprego. O sistema também oferece vagas para pessoas com deficiência. O acesso pode ser feito pela internet ou nos 231 Postos de Atendimento ao Trabalhador (PAT) que a Secretaria disponibiliza aos interessados, na capital, região metropolitana e em 116 municípios do Estado. Informações podem ser obtidas pelo 0800-770-7378.  

Há muitas parcerias para serem feitas. Em minha recente visita ao Sinthoresp, conversei com o presidente Francisco Calasans Lacerda a respeito. O sindicato desenvolve um excelente trabalho de capacitação, incluindo um Hotel-Escola construído com recursos exclusivos dos trabalhadores, que pode se somar à experiência da secretaria.  

Em termos econômicos a Copa do Mundo vai atrair um grande volume de dinheiro ao país, mas também estimados R$ 30 bilhões em investimentos de infraestrutura. Já a consultoria Ernest & Young vislumbra um injeção direta de recursos na economia de mais de R$ 100 bilhões.

O importante é o que chamamos de legado da Copa do Mundo ou o que de positivo pode ser gerado para a imagem de nosso país lá fora, como também o que de permanente poderá resultar de toda a estrutura montada.

Voltando ao tema recursos humanos, a necessária ampliação do número de postos e centros de atendimentos aos turistas, significa preparar mais profissionais para atender devidamente os visitantes.

Mesmo em São Paulo, cidade com  tradição de receber grandes eventos desportivos e turísticos, como a prova anual de Fórmula 1 e Fórmula Indy, a Virada Cultural, a Parada GLBT  e outros, vai ser preciso investir muito em qualificação profissional para complementar a formação de nossos profissionais e de pessoas que ainda não receberam qualquer tipo de orientação profissional nesse sentido.

Além do Sinthoresp, conversamos com outros sindicatos sobre a questão e colocamos em prática medidas no sentido de viabilizar algumas demandas. A Federação e sindicatos dos trabalhadores frentistas, por exemplo, reivindicam cursos de idiomas e de outras disciplinas para atender pedidos de informações turísticas.

Partem da constatação de que são frequentemente procurados pelos motoristas para orientações de várias naturezas e que também poderão atender os turistas. Também recebemos a mesmo pedido por parte de entidades de representação dos taxistas.

É certo que demandas do tipo acabam formando uma cultura favorável ao turismo que pode ser perpetuada enquanto prática cotidiana. Gostamos de ser bem atendidos e esse é um diferencial de concorrência em todos os estabelecimentos públicos, sejam eles, uma repartição pública, um posto de gasolina, uma loja comercial, um hotel ou um restaurante.

A cidade de São Paulo é referência no setor gastronômico, na hotelaria, e na oferta de shows, filmes, peças de teatro e espetáculos culturais. Nosso Estado é dotado de belas praias e de lindas paisagens, enfim, de uma natureza deslumbrante. Todos esses fatores somados a uma estrutura adequada de estradas, equipamentos e o bom atendimento no setor de serviços e de turismo, vão possibilitar uma excelente participação no atendimento dos turistas que aqui vierem.