Secretaria do Emprego implanta 90 bolsas da Frente de Trabalho para reeducandos do sistema semi-aberto

Detentos de Ourinhos, Pirajuí e Valparaíso serão beneficiados

Entre segunda e quarta-feira da próxima semana, a Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT) implanta 90 bolsas da Frente de Trabalho/Programa Estadual de Apoio ao Egresso do Sistema Penitenciário (Pró-Egresso) nos municípios de Ourinhos, Pirajuí e Valparaíso – regiões de Marília, Bauru e Araçatuba, respectivamente. O secretário-adjunto Aparecido Bruzarosco marcará presença nas duas primeiras oportunidades ao lado de autoridades locais.

Desenvolvida pela SERT em parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) e demais prefeituras, a ação objetiva impulsionar e levar os reeducandos do sistema semi-aberto à geração de renda e qualificação profissional. Durante nove meses, os contemplados prestam serviços ao município durante quatro dias por semana (6h/dia) e recebem 150h de cursos de qualificação. A bolsa auxílio é de R$ 300 mensais.

Para Bruzarosco, “a Frente de Trabalho dará uma orientação importante, definitiva para essa parte da população. É um orgulho imenso participar desse momento na vida dessas pessoas”. Neste ano, aproximadamente 750 reeducandos – entre os regimes aberto e semiaberto – de todo o Estado foram encaminhados às Frentes de Trabalho.

Confira a programação:

26/11 – Ourinhos: 15 bolsas

Às 16h30 da próxima segunda-feira (26), serão 15 bolsas implantadas para os homens do Centro de Ressocialização (CR), que fica na Avenida Jacinto Ferreira de Sá, 21 – Centro.

27/11 – Pirajuí: 60 bolsas

No decorrer da próxima terça-feira (27), o município será contemplado com 60 bolsas – que serão divididas entre o CR feminino e os Centros de Progressão Penitenciária (CPPs) I e II.

Às 09h30, Bruzarosco participa da cerimônia de implantação de 20 bolsas no CR feminino, que fica na Rodovia Vicinal João Pereira Martins, Km 01.

Às 13h30 ocorre a implantação de mais 20 bolsas no CPP II. Duas horas depois, serão mais 20 contemplados no CPP I. Os Centros estão localizados na Estrada Vicinal Prefeito Anibal Haman, Km 6 – Bairro Aeroporto.

28/11 – Valparaíso: 15 bolsas

Às 10h, 15 homens do CPP local serão beneficiados durante cerimônia, que ocorre na Rua Comendador Lunardelli,147- Centro.

 

Sobre o Pró-Egresso

O Programa Estadual “Pró-Egresso”, parceria entre SERT, SAP e SDECT (Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia) busca gerar oportunidades para o público atendido, tanto para capacitação profissional quanto para inserção no mercado de trabalho.

Quem pode participar:

– Egressos do sistema penitenciário: ex-detentos que saíram do sistema carcerário há no máximo um ano ou estejam em liberdade condicional;

– Liberados definitivos lato sensu: cumpriram pena e estão em liberdade há mais de um ano;

– Em situação especial de cumprimento de pena: casos como os de detentos que cumprem pena em regime semiaberto ou aberto, foram beneficiados pela suspensão condicional da pena e foram condenados a penas alternativas;

– Anistiados, agraciados, indultados, perdoados judicialmente: aqueles cuja punibilidade foi declarada extinta;

Como participar

Os interessados devem efetuar cadastro nas unidades do Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), do Poupatempo ou da Coordenadoria de Apoio ao Egresso e Família (CAEF), munidos de RG, CPF, carteira de trabalho e comprovante de endereço.

Para maiores informações, acesse os sites:

www.empregasaopaulo.com.br

www.emprego.sp.gov.br

Sobre a Frente de Trabalho

A Frente de Trabalho tem duração de nove meses e 150 horas de qualificação. Os bolsistas recebem mensalmente bolsa-auxílio de R$ 210, crédito para a compra de alimentos no valor de R$ 86 e seguro de acidentes pessoais.

No período, os participantes devem prestar serviços de interesse local (quatro dias da semana – 6h/dia) e, a partir do terceiro mês, frequentar o curso de qualificação profissional oferecido pela SERT, de acordo com a necessidade do município.

Para se inscrever, é preciso ser maior de 17 anos, estar desempregado há pelo menos um ano, residir no Estado de São Paulo há no mínimo dois anos, não ter familiar participante do programa e não receber qualquer benefício social equivalente.