Secretaria implanta 1,3 mil bolsas da Frente de Trabalho em São José do Rio Preto

20 cidades da região serão contempladas

Na próxima terça-feira (20), a Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT) implanta 1.352 mil bolsas da Frente de Trabalho. Vinte municípios serão contemplados, todos da região de São José do Rio Preto. O evento acontece às 15h, no Ipê Park Hotel (Rod. Washington Luis, Km 429), em Cedral.

As cidades beneficiadas e os respectivos números de bolsas concedidas são: Adolfo (60), Américo de Campos (66), Ariranha (90), Aspásia (66), Bálsamo (90), Catiguá (60), Cedral (60), Estrela D’Oeste (60), Jales (90), Orindiúva (60), Palestina (60), Palmares Paulista (60), Paulo de Faria (90), Rubinéia (60), Santa Clara D’Oeste (60), Santana da Ponte Pensa (60), Mesópolis (50), Novo Horizonte (90), São Francisco (60) e Tabapuã (60).

Durante seis meses, o programa oferece renda e qualificação profissional à população desempregada e em situação de alta vulnerabilidade social. Os bolsistas recebem mensalmente bolsa-auxílio de R$ 210, crédito para a compra de alimentos no valor de R$ 86 e seguro de acidentes pessoais. Os participantes devem prestar serviços de interesse local (quatro dias da semana – 6h/dia) e, no quinto dia, frequentar o curso de qualificação profissional. São 150 horas de qualificação.

“A capacitação é o principal objetivo desta ação, que também oferece condições para que o cidadão retorne ao mercado de trabalho”, diz o secretário de Estado do Emprego, Tadeu Morais.

Em Américo de Campos, Ariranha, Bálsamo, Cedral e Novo Horizonte, o Centro Paula Souza será a instituição de ensino responsável pela qualificação. Nas cidades de Aspásia, Catiguá, Palestina, Palmares Paulista e Tabapuá o convênio foi firmado com a AVAPE (Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência).  Nas demais cidades, as entidades responsáveis pelos cursos ainda não foram definidas.

Os cursos de capacitação serão determinados entre a instituição executora e o coordenador da Frente de Trabalho no município em até três semanas após a implantação do programa. Os módulos variam conforme a carência de mão de obra local.

Como participar

Para participar do programa, é preciso ser maior de 17 anos, estar desempregado há pelo menos um ano, residir no Estado de São Paulo há no mínimo dois anos, não ter familiar participante do programa e não receber qualquer benefício social equivalente.

Silvana Chaves
Assessoria de Comunicação da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho