Sobre fazer a coisa certa e administrar com sabedoria

Foi-se há muito o tempo em que ter um negócio era só uma forma de fazer dinheiro. Evoluímos não só tecnologicamente, mas nas relações de trabalho, embora ainda existam abusos. O tema responsabilidade social tem ganhado dia a dia mais espaço. Práticas sustentáveis, ética e transparência são quase condição de sobrevivência para qualquer empreendimento.

Como entendemos que parceria é a palavra-chave para o crescimento, o Governo do Estado tem ações efetivas em prol das boas práticas no mundo laboral, duas delas encabeçadas pela nossa Secretaria: o programa Trabalho Decente e o Selo Paulista da Diversidade.

Uma vez por ano é realizada a diplomação das empresas que se comprometem e efetivamente aplicam os conceitos de trabalho decente. Isso porque não se trata apenas de oferecer um serviço ou produto de qualidade, mas garantir que o processo ocorra com dignidade para quem oferece a mão de obra.

Nove empresas – KMPG, Accenture, Fersol, Sodexo, Hanesbrands, RG Serviços, Hyundai, Bombril e Lupo, aderiram ao programa desde que foi instituído, em 2013, numa parceria com a Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (Fesp).

Para receber o diploma, válido por dois anos, as empresas passam por um processo de auditoria, com avaliação de quesitos como jornada de trabalho, igualdade de oportunidades, estabilidade, segurança, entre outros, definidos pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Em março, mais de cem pessoas reuniram-se em São Paulo para ampliar as discussões sobre a igualdade de oportunidades, numa iniciativa do programa. Foram formados grupos para assuntos de raça, gênero, diversidade sexual, políticas para pessoas com deficiência e imigração. As propostas estarão no foco da Comissão Estadual do Emprego e Trabalho Decente e no seu Plano Estadual, em desenvolvimento.

Outra certificação é o Selo Paulista da Diversidade, que tem como base as convenções internacionais, difundindo a cultura do respeito, valorização e promoção da igualdade. Seu objetivo é destacar boas práticas, como ação estratégica a favor da competitividade e da cidadania. A ideia é estimular as organizações públicas, privadas e da sociedade civil a inserirem o assunto na gestão dos recursos humanos.

A coordenação, a cargo da SERT, é auxiliada por um comitê formado por outras secretarias de Estado e membros da sociedade civil. A equipe do Selo Paulista tem dentre suas atividades reuniões de sensibilização, participação em comitês e eventos ligados à diversidade sexual, direitos das populações negra e indígena, parcerias e ações conjuntas com órgãos e entidades afins.

No final do mês, por exemplo, contribuiu na luta pela reparação da desigualdade no mercado de trabalho participando da 7ª. Conferência Estadual dos Direitos Humanos, uma preparação para o evento nacional que será realizado em Brasília, em maio.

O Selo, que agrega valor à marca, foi instituído em 2007, com primeira certificação em 2009 (categoria Adesão). No ano seguinte foram abertas inscrições para a categoria Selo Pleno, este, voltado às empresas com programas de inclusão da diversidade em andamento. Certificadoras homologadas pelo Estado cuidam do processo. São 35 participantes, dentre eles, Pão de Açúcar, Bradesco, Embraer, Goodyear, Carrefour, HP, McDonalds, Natura e Caterpillar.

A situação não está fácil para ninguém, mas direitos devem ser preservados e ampliados. Se sua organização já tem práticas que englobam trabalho decente e diversidade, parabéns! Se não, é sua chance de se adaptar aos novos tempos, sob pena de ficar para trás e ser punido pela própria sociedade. Não se trata de querer parecer bonzinho, é uma questão de compromisso, de contribuição para um mundo melhor.

Para mais informações sobre o Selo, ligue para 11 3241-7489 ou escreva para sediversidade@sp.gov.br. No caso do Trabalho Decente, o telefone é 11 3241-7220 e, o email, conferenciatrabalhodecente@sp.gov.br.

José Luiz Ribeiro, o Zé Luiz, é secretário de Estado do Emprego e Relações do Trabalho